OS 5 PILARES SEM OS QUAIS QUALQUER LÍDER IRÁ FALHAR

 

O título deste artigo pode parecer um pouco melodramático, mas acreditem quando vos digo que foi escolhido com toda a intenção. Mas antes de aprofundarmos o tema, é importante contextualizar.
Se tirou um curso de gestão, com certeza abordou o tema da liderança e dos seus diferentes estilos. Muito provavelmente discutiu inclusivamente como cada estilo tende a ser mais eficaz em diferentes tipos de organizações, equipas ou períodos do ciclo de vida de uma empresa. E na prática, adoptou o estilo de liderança que lhe vem de uma forma mais natural e ao longo dos anos, aprimorou-o e tornou-o no seu estilo muito próprio de liderança.
No entanto, o que muitas pessoas não têm consciência é que ter o seu próprio estilo de liderança não as isenta de implementar um conjunto de alicerces sem os quais, é garantida a desmotivação da equipa e consequente redução de performance.
E quais são esses alicerces?

1 – Um ambiente baseado em confiança
As pessoas querem ser boas. E querem distinguir-se. Ser desde logo alvo da confiança de alguém, nomeadamente do líder, é a mais evidente prova de reconhecimento. Prova que vem com o bónus de colocar a pressão para viver à altura desse reconhecimento. Dizer “eu confio em ti” a um membro da equipa e demonstrá-lo através, por exemplo, da partilha de informação sensível, como faz Mark Zuckerberg, irá transformar os membros de uma equipa em dignos dessa mesma confiança.

2 – Ter uma visão clara e atractiva do “PORQUÊ”
As pessoas trabalham por dinheiro mas só dão o seu máximo por um propósito digno e elevado. Propósito esse que vem de uma resposta contagiante e impactante à pergunta: “ Porque fazemos o que fazemos?”. Por isso, é crítico assegurar que tem uma visão clara para a sua equipa, e que esta é partilhada, celebrada e frequentemente falada.

3 – Responsabilização para todos
Quando as pessoas têm uma ideia clara e quantificada sobre os objectivos que têm para atingir, elas tornam-se objectivas. Se a isso somarmos reports e feedbacks construtivos regulares, elas tornam-se extremamente focadas. E se, em cima disso, dermos-lhes liberdade de actuação, elas tornam-se responsáveis. E é da responsabilização que resulta inovação real e resolução de desafios. E estes dois são os motores essenciais ao crescimento sustentável.

4 – Definir e promover um conjunto específico de valores.
Resultados advêm de ação adequada que, por sua vez, resulta de comportamentos desejados. E as pessoas comportam-se de acordo com os valores vividos na organização. Assim, uma pedra basilar na construção de sucesso é garantir que na organização são vividos os valores certos. Se não fizer isso, corre o risco de cada um seguir os valores que julga serem adequados e que podem ser bem diferentes daqueles em que acredita. Por isso e desde logo, escolha um conjunto de valores (entre 5 e 7) que quer ver reflectidos em todos os comportamentos e comece desde logo a penalizar quem não respeita esses valores.
Nota: Não deve ser um grande “oba-oba” cumprir com esses valores, pelo que não deve premiar quem os segue (ex: Nós não somos fantásticos só porque em sociedade, não matamos outras pessoas).

5 – Liderar pelo exemplo
“Faz o que eu digo mas não faças o que eu faço” é um excelente mote para assegurar a desmotivação de uma equipa. Se há um comportamento que é suficientemente importante para querer que todos respeitem, então deve ser o primeiro a dar o exemplo. Quer que todos cheguem a horas à empresa? seja o primeiro a lá estar. Não quer ninguém a checkar telemóveis durante apresentações? Coloque o seu em “airplane mode”.

Existem diversos estudos sobre estes tópicos e os seus impactos na capacidade de liderar, bem como inúmeros casos de líderes que tiveram sucesso ou falharam porque seguiram, ou não, estes princípios.
E para vos mostrar o quão sério estou sobre o impacto destes na capacidade de liderança, vou fazer aquilo que poucos lideres de opinião gostam de fazer: vou fazer uma previsão. A minha previsão está relacionada com um líder que é de momento o líder mais exposto: O presidente Donald Trump. A minha previsão é que ele não vai chegar ao fim do seu termo. Porquê? porque, acima de tudo mais, ele tem total desrespeito por todos estes 5 pilares.
Confirmem por vocês próprios:
1 – Ele confia nas pessoas que lidera, no seu povo? por tudo aquilo que diz, das mulheres, dos jornalistas, da oposição, etc., é evidente que não.
2 – Ele tem uma visão clara e apelativa? bom, “make America great again” é sem dúvida apelativa para muitos, mas está longe de ser clara na forma como vai fazer isso ou sequer, o que é o conceito da America ser grande outra vez.
3 – Ele acredita em responsabilização? a sua total incapacidade em lidar com feedback diz-nos claramente que não. Alem de que, é impossível avaliar performance se os “factos” estão constantemente a mudar.
4 – Ele promove um conjunto específico de valores? Sim e não. As suas ações seguramente que alimentam ódios xenófilos, racistas e misóginos. Mas ele não é louco o suficiente para transformar as suas ações num manifesto. Pos isso, com Trump, existe antes um grande vazio de princípios e moral.
5 – Ele lidera pelo exemplo? Como pode um homem que sempre viveu numa torre de marfim e que ainda hoje se recusa a mostrar a sua declaração de impostos ou separar-se dos seus negócios pessoais, liderar por exemplo? ele é na realidade a antítese disso mesmo.
Concluindo, Donald Trump representa o oposto do que é ser um líder de sucesso a longo prazo. A sua retórica pode ser apelativa para as massas insatisfeitas e frustradas com as suas vidas, e isso levou-o à casa branca, mas sem suportar o seu comportamento nos 5 pilares, ele está a garantir a sua rápida queda.
Que tipo de líder é? suporta-se nos 5 pilares? e o seu chefe? e que impacto tem isso para si? fale-me do seu caso nos comentários a este artigo. Adorava ouvir a sua história.